quinta-feira, dezembro 21, 2006

Receita de Pavê de Chocolate Natalino

Hoje é o último dia da primavera, o Natal está muito perto. Lembro dos Natais passados, de dar uma passadinha na casa da minha avó para ver se o Papai Noel estava lá. Uma vez, ficou apenas um pedaço de barba branca preso debaixo da porta na casa dela, e eu e minhas irmãs a imaginar que o Papai Noel ainda estava do outro lado, agachado...

Minha vó Therezinha tinha 40 anos quando eu nasci, era uma linda, linda velhinha de cabelos grisalhos... Agora, eu tenho 39, uma filha de 8 meses e ainda uso trancinhas (aqui preciso parar de fazer as contas!) Lembro que ela fazia um doce de maçã ralada com creme de baunilha e, no Natal, do pavê de chocolate que eu nem gostava tanto mas comia feliz porque tinha gosto de Natal.

Já são 30 Natais sem ela que, na verdade, nunca chegou a ficar velhinha como eu a imaginava. Mas às vezes ela está lá, olhando comermos o pavê e lembrando dela.

Eis a receita.

Pavê da Vovó

Ingredientes:
1 tablete de manteiga
12 colheres, de sopa, de açúcar
5 ovos, gemas e claras separadas
1 caixa pequena (200g) de chocolate em pó
1 cálice de conhaque ou rum (ou água misturada com essência de conhaque ou rum)
biscoitos Maria o quanto baste (1 pacote de 200 g e mais um pouco)
leite para umidecer os biscoitos

Preparo:
Bater a manteiga, à temperatura ambiente, com o açúcar. Misturar as gemas. Reservar. Dissolver o chocolate em pó no conhaque (ou rum, ou água). Acrescentar à mistura de gemas, manteiga e açúcar. Juntar as 5 claras, batidas em neve. Montar o pavê com os biscoitos, umidecidos em leite ou água.

Nota: este pavê se congela bem.

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Receita de Bolo de Frutas para o Natal

Minha mãe está fazendo bolinhos de frutas para dar às amigas no Natal.
Me enviou a receita, com foto e tudo! Adorei.

Bolo de Frutas

Ingredientes:
100 g de nozes ou castanhas, picadas
80 g de passas brancas
80 g de frutas cristalizadas
1 xícara de figos em calda
80 g de ameixas pretas
1 xícara de vinho branco suave
1 xícara da calda dos figos
1 xícara de açúcar refinado (ou mascavo)
1/2 xícara de açucar mascavo
100 g de margarina ou manteiga
4 ovos
3 xícaras de farinha de trigo
1/2 xícara de chocolate em pó
1/2 pacote de condimento alemão (ver nota)
1 1/2 colher de fermento em pó


Preparo:
Em uma tigela, misture os 7 primeiros ingredientes com 1/4 de xícara de água. Deixe descansar por 1 dia. Bata a margarina, os ovos, o açúcar refinado e o mascavo. Junte o condimento alemão, a farinha peneirada com o chocolate em pó e misture. Por fim, coloque as frutas reservadas e o fermento. Unte uma assadeira com margarina e farinha de trigo, para um bolo único, ou várias pequenas, para bolinhos individuais. Leve ao forno médio (180°) por mais ou menos 35 min, até que um palito espetado saia seco. Decorar com 1/2 receita de fondant (receita abaixo) e, se desejar, cerejas.

Observações: A massa fica mole e cresce bastante no cozimento. Encha a forma somente até a metade. Este bolo tem a duração de 15 dias, e congela muito bem.

Nota: O condimento alemão é encontrado em casas especializadas em produtos para confeitaria e em alguns supermercados. É composto de: cravo, canela, coentro, gengibre, noz moscada, cardamomo, aniz, pimenta da Jamaica, cacau em pó. Pode ser substituído pela mistura destas especiarias. O pacote de contimento equivale a 1 colher de sopa.

Fondant

Ingredientes:
500g de açúcar de confeiteiro
1/2 xícara de leite
1 colher, de sopa, de manteiga

Preparo:
Misturar os ingredientes em banho-maria, até obter um creme homogêneo. Espalhar sobre os bolinhos.

sexta-feira, dezembro 01, 2006

Receita de Pastelão de Shimeji

Receita inventada, ficou uma delícia. É fácil e rápida.

Pastelão de Shimeji

Ingredientes (para 2 pessoas):

Massa:
50 g de margarina
1 xícara de farinha
1/4 de xícara de leite
1/2 colher, de chá, de fermento químico
1 pitada de sal

Recheio:
200 g de cogumelos shimeji, picados
1 dente de alho, amassado
azeite
suco de 1/2 limão
salsa picadinha
cebolinha picadinha
3 colheres, de sopa, de queijo cottage
1 pão francês, torrado e moído grosseiramente

Preparo:

Massa:
Coloque a farinha, margarina, sal e fermento no processador de alimentos. Ligue e vá acrescentando, aos poucos, o leite, até que a massa forme uma bola. Retire e reserve - pode ser feita com antecedência e guardada na geladeira, envolta em filme plástico.

Recheio:
Em uma frigideira grande, aqueça o azeite e doure os shimeji, até ficarem macios. Acrescente o alho, frite mais um pouco mexendo sempre, junte a salsa e cebolinhas, pingue o suco de limão e um pouco de água - apenas para soltar a caramelização do fundo da frigideira. Desligue o fogo, tempere com sal e pimenta-do-reino (opcional). Transfira para uma tigela. Misture o queijo cottage e o pão moído.

Montagem:
Abra a massa com o rolo. Forre uma pequena assadeira (15x25 cm) com metade da massa. Coloque o recheio e cubra com o resto da massa. Aperte bem as bordas - não há necessidade de furar a massa. Leve ao forno médio - 200º - por 30 minutos ou até que a massa fique levemente dourada. Sirva quente ou morno.

Esta mesma receita pode ser feita com outros tipos de cogumelo. A dica é dourar o cogumelo em frigideira grande e quente, sem sal, para que não junte muita água. O recheio deve ser seco.

terça-feira, novembro 28, 2006

Receita de Pastel de Kani do João Henrique

Meu pai criou esta receita e me enviou, achei uma ótima idéia! Ainda não experimentei, mas eu comeria com limão...

Pastel de Kani do João Henrique

Ingredientes para 12 pastéis:
12 massas para pastel
7 barras de Kani
2 colheres de sopa de cebola bem picada
2 colheres de sopa de salsa bem picada
2 colheres de sopa de tomate, sem as sementes, bem picado
Orégano, sal e pimenta a gosto.

Preparo:
Picar o Kani, bem fino (é mais fácil se estiver ainda quase congelado) e misturar com os outros ingredientes. Fechar os pastéis e fritar em óleo bem quente.

(Na foto, meu pai com Maya, ela com 5 meses.)

segunda-feira, novembro 20, 2006

Chuva e Queen!!

Hoje sim, bike na chuva. Ruas vazias, todos se vão com o final do feriado.

"My soul is painted like the wings of butterflies
Fairytales of yesterday will grow but never die"

(Queen)

domingo, novembro 19, 2006

"Se cada folha, em cada árvore, pudesse contar uma história"...

Domingo de chuva fina, dia sem-graça. Saí prá andar de bike e tentar desenferrujar meus ossinhos de nova-velha-mãe, porque minha principal malhação agora é amamentar, trocar fraldas e carregar uma meninona o dia todo prá lá e prá cá. Hoje, nem meus óculos de lentes mágicas cor-de-laranja conseguem ensolarar o dia. Já na descida da rampa de casa, ligo o iPod e toca uma música que eu nem sabia que tinha. (É um milagre?)

The Miracle

(Queen)

Every drop of rain that falls in Sahara Desert says it all
It's a miracle
All God's creations great and small, the Golden Gate and the Taj Mahal
That's a miracle
Test tube babies being born, mothers, fathers dead and gone
It's a miracle
We're having a miracle on Earth, mother nature does it all for us
The wonders of this world go on, the Hanging Gardens of Babylon
Captain Cook and Cain and Abel, Jimi Hendrix to the Tower of Babel
It's a miracle, it's a miracle, it's a miracle, it's a miracle
The one thing we're all waiting for, is peace on Earth - an end to war
It's a miracle we need - the miracle
The miracle we're all waiting for today
If every leaf on every tree, could tell a story that would be a miracle
If every child on every street, had clothes to wear and food to eat
That's a miracle
If all God's people could be free, to live in perfect harmony
It's a miracle, we're having a miracle on Earth
Mother nature does it all for us
(the wonders of this world go on)
Open hearts and surgery, Sunday mornings with a cup of tea
Super powers always fighting
But Mona Lisa just keeps on smiling
It's a miracle, it's a miracle, it's a miracle

(The wonders of this world go on)
Well it's a miracle, it's a miracle, it's a miracle, it's a miracle
The one thing (the one thing)
We're all waiting for (we're all waiting for)
Is peace on Earth (peace on Earth) and an end to war (end to war)
It's a miracle we need, the miracle, the miracle
Peace on Earth and end to war today
That time will come one day you'll see when we can all be friends
That time will come one day you'll see when we can all be friends
That time will come one day you'll see when we can all be friends
That time will come one day you'll see when we can all be friends
That time will come

sexta-feira, novembro 03, 2006

Santa Teresa de Ávila

Querida Gil,

Vamos tomar o chá, então.

Na minha cozinha tenho um quadro de avisos, onde penduro receitas, fotos, lembretes e coisas importantes. Em um dia muito difícil, já faz um ano, recebi por e-mail um mantra da Santa Teresa de Ávila que, agora, está no meu quadro de avisos:

"Que nada te perturbe
Que nada te atemorize
Todas as coisas passam.
Deus nunca muda
A paciência supera tudo
Quem tem Deus não precisa de nada
Deus é suficiente"

(Esta Santa era uma mística e não seguia a doutrina católica. Vale a pena ler sobre ela.)

Não esquece que "tudo isto é Maya". (Puxa, a Cássia bem que podia contar esta história. Sou chata, estou sempre pedindo, eu sei...)

beijos.

quarta-feira, novembro 01, 2006

Posso fazer um chazinho?

O que a gente faz nos dias em que, por mais que queira, não consegue ver que o céu está azul, que tem uma amiga tão especial, com a sua filhinha querida e a cozinha sempre aberta a nos receber?

Pois é, ando assim ultimamente e achei que o melhor seria ficar longe para não contaminar o ambiente com meu humor cinza. Mas acho que agi mal.

Quando era pequena, meu avô, que sempre teve uma bela horta em casa, fazia chá de erva-cidreira (capim santo, cidrão, etc.etc, dependendo da região), para me animar. Para mim, até hoje, o perfume dessa plantinha já faz me sentir melhor, pois traz a sensação de estar perto de pessoas queridas e que me fazem bem.

Por isso, resolvi aparecer por aqui hoje, pedir licença para colocar um pouco de água para ferver e compartilhar um chazinho de erva-cidreira com vocês, meninas.

Um beijo enorme!

segunda-feira, outubro 16, 2006

Jardineira

Esta é minha mãe.

terça-feira, outubro 10, 2006

Receita de Massa para Pizza

Esta vai para o Oswaldo, que está tentando fazer pizza prá sua linda menina Carol.

Dicas importantes: o fermento biológico se alimenta de água, açúcar e farinha. O açúcar não é absolutamente necessário na receita, mas a massa crescerá mais se contiver um pouco de açúcar. A melhor farinha é a comum, que é mais rica em açúcares naturais que a do tipo especial. O sal é um ingrediente crítico: ele fortalece o glúten, fazendo a massa crescer sem colapsar. Mas, ao mesmo tempo, em grande concentração inibe o crescimento do fermento. Ou seja, existe uma quantidade ideal.

Bom, como a Maya é uma menina paulista, sábado à noite se come pizza! Bom, ela ainda não come pizza, mas logo, logo estará provando... Esta é a receita que eu uso:

Massa para Pizza:
(para duas pizzas grandes de espessura média ou três finas)

250 ml de água
1 colher, de sopa, de açúcar
2 colheres, de sopa, de óleo ou azeite
460 g de farinha de trigo comum (não "especial")
2 colheres, de chá de fermento biológico instantâneo
1 colher, de chá, de sal

Misturar bem todos os ingredientes, deixar descansar por uns 10 minutos. Amassar bem a massa, por uns 10 minutos, até que fique bem homogênea e oxigenada. Deixar crescer em uma tigela coberta com um pano, até triplicar de volume. Dica: pré-aqueça o forno, alto, por 5 minutos, desligue, coloque a tigela no forno com a porta entreaberta, para que o calor ajude o crescimento. Desta maneira levará de 1 hora e meia, mais ou menos. Não amasse a massa novamente, manuseie com cuidado ao tirar da tigela. Corte a massa em 2 ou 3 bolas, sobre uma superfície enfarinhada, abra com o rolo e coloque nas fôrmas. Pré-asse em forno médio-alto (220º) por 10 minutos, coloque a cobertura e leve ao forno novamente, até derreter o queijo. O ideal é, se o forno tiver grill, ligar o grill para esta segunda etapa e deixar 10 minutos. O forno já estará quente e a massa terminará de cozinhar, enquanto o grill irá gratinar o queijo.

Mais uma dica: após o pré-cozimento, a massa pode ser congelada por várias semanas. Na hora de utilizar, retire do freezer por meia hora, coloque a cobertura e leve ao forno.

sexta-feira, setembro 22, 2006

Achei a cozinha da Deusa !!!

Há tempos procurava eu pelo aconchego da Deusa. Qual seria o melhor lugar para Suas manifestações? A cozinha onde Maya cresce sob o olhar atento e carinhoso de Sua Mãe.
Observa curiosa cada movimento, sente cada aroma despreendido nas transformações eternas da matéria que alimenta o Universo.Prova das primeiras delícias que guardará indelevelmente em Sua Alma.
Lugar de Deusas, a cozinha pode reunir,como numa imagem que vi há pouco,Kali e a Virgem de Guadalupe sentadas juntas tomando um cafézinho e trocando um "dedo de prosa". Pode resgatar um poder primitivo sussurado aos ouvidos das que cuidavam do Fogo Sagrado.
Espero ter a graça de diante da Rainha do Mundo participar de todo este Banquete da Vida.
Com cuca de banana ou da arquetípica maçã, é claro!

Receita de Ketchup Maison

Gil, aqui vai a receita do Ketchup Maison que tanto gostas.! Tem até histórinha: no Québec, o verão dura umas duas semanas, no máximo... ;) Quando a neve começa a derreter, em Montréal, surgem assim, do nada, feiras nas ruas vendendo frutas, conservas, flores e temperos. As pessoas compram os vasos de flores e penduram na frente das casas - "jardins instantâneos" como dizia uma amiga americana. Flores que duram mais ou menos o tempo do verão, jardins de curta duração, mas que refletiam a alegria das pessoas pelo fim do inverno. Eu gostava de comprar ketshup maison nestas feiras, "maison" significa caseiro. O Québec tem outras receitas de guloseimas interessantes, como a Poutine (batata-frita molhada, como eu brincava) e a Tarte au Sucre (torta de açúcar, imagina como isto é doce) que, a qualquer hora destas, coloco aqui.

Ketshup Maison (do Québec)

Ingredientes:

(rende 2 litros)

12 tomates maduros mas firmes
4 cebolas
4 maçãs
1/2 pé de aipo
250 g de açúcar
350 ml de vinagre de maçã
1/2 colher, de sopa, de sal
Temperos:
1/2 colher, de sobremesa, de gengibre ralado
1/2 colher, de sobremesa, de pimenta-do-reino
1/2 colher, de sobremesa, de mostarda em pó
1/2 colher, de sobremesa, de pimenta calabresa em flocos
1 colher, de sobremesa, de allspice (pimenta da Jamaica)
1 colher, de sobremesa, de endro
1/2 colher, de sobremesa, de canela em pó
1 colher, de sobremesa, de cravos
2 folhas de louro
2 estrelas de anis-estrelado (opcional)

Preparo:

Pique as cebolas em cubos pequenos. Faça o mesmo com os tomates e maçãs (com casca). Corte os talos de aipo em fatias finas. Dica: para picar e fatiar os ingredientes, use um processador de alimentos, picando um ingrediente por vez, tendo o cuidado de não transformá-los em purê. Coloque estes ingredientes em uma panela grande, juntando o vinagre, sal e o açúcar.

Coloque todos os temperos (menos o louro e anis) em um moedor de temperos e moa para misturar bem e moer as pimentas e cravos (ou adquira todos os temperos já moídos e misture-os à mão). Acrescente aos legumes na panela, misture bem e leve ao fogo.

Quando levantar fervura, baixe o fogo e, com a panela aberta, deixe ferver por 2 horas.

Depois de retirar a panela do fogo, coloque imediatamente o ketchup maison em potes de vidro esterilizados, tampe e deixe esfriar até a temperatura ambiente. Dentro do vidro, se formará um vácuo se o ketchup estiver bem quente quando você colocá-lo e se a tampa estiver bem fechada.

Você não precisa esperar esta conserva envelhecer para servi-la. Antes de servir, deixe gelar na geladeira.

Sirva com baguetes fatiados, pequenos pães franceses ou em hambúrgueres.

quinta-feira, setembro 21, 2006

Ô de casa?! Posso entrar?

Ainda estou à porta da cozinha e já sinto o cheirinho gostoso da cuca assando no forno. A cozinha aconchegante da minha amiga Clarissa me faz sentir feliz pelo convite, feito assim, no meio da tarde, num dia nublado.

Entre ervas, panelas e "maçãs" encontro lindos sorrisos. A cozinha está mais movimentada que nunca, agora que a mestra tem uma pequenina aprendiz.

Desde tempos imemoriais, nada representa mais os sentimentos de amizade e carinho do que o ato de nos reunimos em volta das panelas e do fogo, compartilhando sabores, lembranças e opiniões.

Então, minha amiga, passarei por aqui mais vezes, para papos longos ou para cafezinhos rápidos. E quem sabe da próxima vez possamos trocar umas receitas, como a daquele Catchup Maison maravilhoso, que vc me deu, mas eu perdi.

Bjs, Gil

Ritual sagrado

"No dia em que as panelas da cozinha forem tão sagradas quanto os vasos dos altares, o sagrado estará na Terra e em cada gesto do cotidiano"

Santa Teresa de Ávila (1515 - 1582)

E eu penso: a comida é tão boa quanto a intenção de quem a prepara... não importa a receita! Estamos no meio do sagrado, basta apenas percebê-lo. Alimentar a própria família, existe ritual mais sagrado do que este?

sexta-feira, setembro 15, 2006

Receita de Cuca gaúcha

Tenho feito esta cuca, fica uma delícia com cobertura de banana ou maçã. O ideal é comer com nata por cima... mas é bastante difícil encontrar nata em São Paulo.

Bom, lá vai a receita:

Cuca gaúcha

1 xícara de farinha de trigo
1 envelope de fermento biológico seco instantâneo (11 g)
1/2 xícara de água
1 colher, de sopa, de açúcar

Misturar estes ingredientes e deixar o fermento crescer por 30 min. até formar a esponja.
Juntar os outros ingredientes:

1 e 1/2 xícara de açúcar
1 pitada de sal
1 xícara de leite
1 colher, de sopa, de óleo
100 g de margarina
2 ovos
4 xícaras de farinha de trigo

Mexer com colher até obter uma massa homogênea. Deixar crescer por 30 min. Untar uma assadeira bem grande (ou duas médias) e colocar a massa. Deixar crescer novamente, mais 30 min. Colocar bananas em rodelas ou maçãs fatiadas sobre a cuca e espalhar a farofa por cima. Para fazer a farofa:

2 colheres, de sopa, de margarina gelada
5 colheres, de sopa, de açúcar
1 colher, de sopa, de farinha de trigo


Amassar com os dedos até formar uma farofa. Levar a cuca ao forno à 200º por 25 a 30 min. Se a assadeira for pequena, a cuca crescerá demais e será necessário mais tempo no forno, até que um palito espetado no centro da cuca saia seco.

O segredo da cuca é crescer 3 vezes: a esponja, a massa e já colocada na forma. Ela irá crescer ainda mais no cozimento. Por isto, use assadeira grande!

quarta-feira, setembro 13, 2006

Uma maçã na cozinha


Finalmente, tenho um computador na cozinha. Steve Jobs diz que o computador é o digital hub, o centro que conecta todos os aparelhos que usamos em nosso dia-a-dia... a cozinha também é um hub, talvez um confort-hub, em todo o significado da palavra conforto... Bom, o fato é que coloquei meu imac na cozinha, lugar de transmutação (como diz a Cássia) e meu lugar de poder. Agora que a minha linda Maya começa a provar maçãs (as da árvore) e papinha de batata com cenoura, a cozinha ficou diferente. Lugar de criar uma menina, cozinheira, filha de Oxum.


A cozinha ficou pequena.